sexta-feira, 9 de maio de 2008

Zalala - mais um banho no Índico!

A pouco mais de 40 quilómetros da cidade de Quelimane situa-se a praia de Zalala. Esta é a praia preferida dos quelimanenses! A estrada que vai da cidade à praia é toda asfaltada, muito estreita, ...mas linda. São quilómetros e quilómetros de estrada ladeados por um extenso palmar! E a praia, ... um sonho! Quilómetros e quilómetros de um areal claro e limpo. É o Índico (mar aberto) com a água límpida e quente (não levei termómetro, mas garanto que deveria estar a uns 26/28 graus!).
A estrada é quase uma recta até à praia. "Montes" de bicicletas têm o mesmo destino que eu - Zalala!Mais ou menos a meio do caminho, esta moradia isolada, já se sente a maresia...
...e, quase em Zalala, já se nota neste riacho barrento a influência das marés.Já em Zalala, estas são as primeiras casas que encontroAcaba o palmar e começam as casuarinas. A praia é já ali...Eis a praia de Zalala! Um areal imenso, pouca gente (era um dia de semana!)... que rico banho!Olhando para Sul ou para Norte, o aspecto é este: um areal a perder de vista! É tempo de regressar! Para lá destas casuarinas, que vêm até à praia, fica...
...o restaurante onde tomei uma 2M geladinha! (para quem não saiba, 2M é a marca de uma das cervejas de Moçambique)
Já de regresso, mostro mais casas em Zalala......e novamente a estrada que leva a QuelimaneEntretanto passei por um mercado de berma de estrada...
...e por uma viatura de caixa aberta, a fazer serviço de "chapa" (táxi)......e, quase na cidade, o Instituto de Ciências de Saúde de Quelimane
Ir para o Índice .

2 comentários:

mammynela disse...

Ao ver estas imagens vieram à memória os dias que passei em Moçambique. E aquela praia... que recordações boas!...
Obrigada por estes momentos e estas lembranças.

Gonçalves disse...

Acabei de, sem querer, recuar mais de 50 anos na minha vida!
Para quem venha de Namacurra para Quelimane, e depois de ter passado por Nicuadala verá à sua esquerda a Cerâmica..... onde ainda moram os ecos da minha infância, não todos, porque os outros ainda se espraiam na praia... do Zalala.
Obrigado, muito obrigado.