segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Macaneta - finalmente um banho no Índico!

O Índico quente está aqui ao lado! Ansioso por um bom banho no mar, tomo o caminho para a praia da Macaneta. São cerca de 30 Km até Marracuene, toma-se o ferry para atravessar o rio Incomati e depois são mais cerca de 8 Km para chegar à bela praia da Macaneta. Um areal branco a perder de vista, mar aberto e... água quente e límpida!
Aproveitando a luz do sol favoravel pela manhã mostro algum do comércio e outras "coisas" interessantes que se encontram do lado esquerdo da estrada (o lado direito, e uma vez que parte do percurso é comum, será mostrado quando for ao Bilene).
Venda de peças e acessórios auto Loja de fardamentos (como irão reparar as cores da MCel pintam Moçambique de Norte a Sul!)
Sucateiro
Venda de materiais de construção
"Manicómio de Marracuene" e capela do mesmo
Chegado ao rio Incomati é necessário esperar pelo ferry boat! A fila é grande, apesar de ainda ser cedo. O ferry não pára, mas como leva só uma meia dúzia de viaturas, há que esperar...
Estes estavam à frente...
... e lá vão...
Enquanto se espera vai-se vendo, aqui uma "jangada" feita de molhos de caniço. Os dois passageiros vão vendê-los ao mercado próximo. Para lá vão por via fluvial, para cá, se o negócio correr bem, vêm a pé!
Para ajudar a passar o tempo... e ganhar uns meticais, eis o homem dos sete instrumentos (na realidade são só três, contando com a voz, harmónica e viola)
Já no ferry, a meio do rio, uma foto do "cais" onde esperei cerca de uma hora. Mais uns quilómetros e eis a Macaneta e o seu complexo turistico virado para o rio!
Aspecto do restaurante e, mesmo ao lado, do outro lado da duna,...
... a Praia da Macaneta (finalmente!)
Areia branca e limpa, água quente e límpida e o sol... o sol quente de Moçambique! Finalmente o tão esperado banho no Índico!
Já no regresso o Incomati visto de Marracuene e duas peças de artesanato à venda no cais.

Ir para o Índice .

17 comentários:

Matos Sousa disse...

Olá Taborda,
As fotos são magníficas. Tenho pena de não ser eu a estar por trás da máquina fotográfica para poder sentir o feitiço dessa terra onde o sabor do ar é temperado por casuarinas e o cheiro da terra, das gentes e do mar tem o gosto da saudade. Um abraço
M.Serafim Matos Sousa

Reis-Morais disse...

Um abraço! Felizardo!
Boas Férias! Boa Estadia!
Belas fotos estas.
Também "nos-matam-as-saudades"! Bem Haja!
ReisMorais

iolanda disse...

Mas que saudades!
Quando visitei Moçambique, (já foi há quase 10 anos!)Também fui à Macaneta.
Aguardo as tuas próximas fotografias
Um beijo
Iolanda

Carlos disse...

Olá Taborda,
ès mesmo africano e sobretudo corajoso.
As fotos são simplesmente maravilhosas, mesmo no meio dessa miséria é tudo maravilhoso.
Continua a enviar as provas da beleza para nós continuarmos a alimentar o noso ego
Um abraço dos amigos Carlos e Leonor

Elisa e João Pinto disse...

Olá Taborda:

Seu "felizardo"...

Tanto tempo em Moçambique, que "inveja"!!!!

Quando fui a 1ª vez ao Maputo (há 7 anos), também fomos a Macaneta. Que belas águas, não é?

Aproveita bem, meu amigo.

Um abraço

Elisa Pinto

Anónimo disse...

Há 35 anos, quando lá estive, só me lembro da casa do Administrador. A praia e as ondas continuam magníficas e talvez ainda seja o mesmo ferry...
Parabéns
J.P.Claro

João disse...

Boas Taborda

Os meus parabens.Sem duvidas 5 estrelas. Continua, esperamos mais.

Abraço
João Fernandes

Anónimo disse...

Férias na macaneta! Há quanto tempo...
Esta é de certeza uma maneira de começar bem o dia! As lembranças de Moçambique sempre me deram forças para tudo.
Kanimambo por partilhar connosco as imagens da nossa terra. Valeu!
Um abraço
Lizete Ribeiro

Rui bastos disse...

Olá Amigo Taborda.
Muito obrigado pelas lindas fotos desse Mundo maravilhoso que é Moçambique. MACANETA.És indiretamente "cukpado" pelas lágrima sque estão descendo agora pelas minhas faces de 80 anos de idade, MAS, já estás perdoado
Tinha eu 6 anos de idade,meu irmão Abel 7, quando meu pai era o Electricista Chefe da Geradora Eléctrica de Marracuene (Vila Luiza) O chefe da estação dos caminhos dew ferro era o Matos, pai do Zoca. O Administrador era o Santa Clara, pai do Rui,Mário e Maria Guiomar. O José Nunes, enfermeiro Chefe do Manicómio, pai do Júlio Nunes e Fernanda.Nesses
maravilhosos anos 45, o Carlos era o que manobrava o "gasolina"para levar turistas para verem os jacarés e hipopótamos no rio Incomati.Daí desciamos o rio até o ponto mais próximo da margem esquerda para atravessar as dunas sómente uns 40 metros e lá estávamos no maravilhoso mar do Macaneta.
KANIMAMBO e Um abraçao do desde já teu Amigão.
]Rui G. Bastos

Fernando disse...

Que saudades, meu amigo, dessas maravilhosas terras, que estas magníficas fotografias me fizeram lembrar.
Embora vivendo mais ao centro de Moçambique (Vila Pery), foi aí que passei os melhores anos da minha vida.
Talvez um dos maiores desgostos que me acompanha, seja o facto de ainda lá não ter voltado e, possìvelmente, não voltarei.
Vou-me satisfazendo com as reportagens que os "felizardos" que lá têm ido, nos vão facultando.
O meu muito obrigado e votos de magníficas férias.

Era uma vez um Girassol disse...

Mais um moçambicano de coração em visita a terras não esquecidas, tão amadas!!!!
Obrigada, pelas imagens, descrições, tudo!!!!
Vou continuar a acompanhar a viagem.
Embora tendo visitado Moçambique (Maputo)em Outubro de 2007,depois de 36 anos, foi também para mim uma emoção enorme pisar a terra, ver as gentes, tomar banho no Índico...
http://eraumavezumgirassol.blogspot.com/2007_10_01_archive.html
Um grande abraço
Ana Bela

Jordas disse...

Oi Taborda as fotos são 5 estrelas, no entanto e não te querendo apressar estou ansioso que chegues a Nampula ,Chocas , Nacala etc...etc. UM grande abraço e boa estadia.
Carlos Oliveira

Anónimo disse...

É mais um cantinho para matar saudades mas com algo diferente, mais atual, mais vivo, mais quente.
Estou com uma vontade imensa de rever os lugares onde cresci. Sei que me emocionarei revendo algumas coias, mas sei que me decepcionarei com outras. Gostaria da opinião do Taborda sobre o lado humano na visita, se a recepção é boa, fica-se à vontade, há ressentimentos etc. Pouco se fala desse aspecto tão importante numa visita.
João Carlos Lae

Anónimo disse...

Olá Taborda
Obrigada pela partilha...
Um bem haja desta Moçambicana de gema. Nasci em Lourenço Marques e vivi em Trigo Morais


Isabel Maria Rodrigues Botelho


isabelmariabotelho@hotmail.com

Emanuel disse...

boas a todos, vi e adorei as fotos, faz-me lembrar aquela terra maginfica onde os dias parecem não ter fim e as noites são de pura magia sucolentas! SAUDADES eu tenho e terei até aos ao fim dos meus dias! sentir o cheiro e sentir aquele sol, hummm, só pode descrever quem realmente tem conhecimento de causa! por descrição serão incompreendidas!
um abraço forte cá do macúa...heheh

F.Mancellos disse...

Olá Taborda. Gostei de te saber por essas bandas. Olha se vires o Zé Macaneta (Macieira)dá-lhe um abraço e claro sa´da O Português que de Sul a Norte...Um abraço Né (F.Mancellos)

Duarte disse...

Caro Sr. Taborda:
procuro informação sobre a antiga Maternidade de Marracuene. Creio tratar-se de uma estrutura muito singela, talvez dos anos 40 do século passado. Tem algum conhecimento da existência dessa maternidade?
Parabéns pelas fotos!
Um abraço,
Duarte