segunda-feira, 16 de Junho de 2008

O Museu de História Natural no Maputo

O Museu de História Natural foi fundado em 1911 e instalado desde 1933 num belo edifício inspirado no estilo Manuelino, construído pela Câmara Municipal. É sem dúvida um dos locais da cidade mais visitado por nacionais e estrangeiros. Começou por ser Museu Provincial, depois Museu Dr. Álvaro de Castro, passando a designar-se, após a independência, por Museu de História Natural.
Tutelado pela Universidade Eduardo Mondlane tem como objectivo proporcionar informação naturalista e etnográfica. A informação naturalística (só parte desta irei mostrar) é dada através da exibição de espécimes de natureza zoológica, por via de regra inseridos em cenários simulando os naturais.
Entre as suas colecções, destaca-se a colecção zoológica que tem expostos embalsamados grande variedade de mamíferos (200), aves (10 137!), insectos (176 527 !!!), invertebrados (1 250) e répteis (150). Dentre os exemplares expostos é de salientar uma colecção, provavelmente única no mundo, de fetos de elefante desde um mês até aos 22 meses.
(O texto acima é um resumo/adaptação livre do prospecto do Museu)
A fachada principal do Museu
Vista lateralUma janelaA entradaUm dos dinossauros (moldados em betão) existentes nos jardins do Museu
Ao entrar do lado esquerdo da escadaria que leva ao 1º andar......e do lado direitoNo centro do "salão principal" a reconstituição da selvaSeguem-se cinco fotos retratando pormenores desta "cena central"Outras "cenas"
E, finalmente, a "tal" colecção de fetos de elefante referida no início deste post
Ir para o Índice .

10 comentários:

Anónimo disse...

Ficaram ótimas as fotos no museu!!!

Roberto Leite disse...

OLá AMigo,

Muito boa a reportagem,
você teria o e-mail do responsável do Muzeu ou alguém que trabalha lá?

Abraços,
José Leite.

adrobat disse...

Não tenho qualquer contacto, mas sei a morada:

Av. Travessia do Zambeze, 104
Caixa postal 257
MAPUTO - MOÇAMBIQUE

Telef. 2581491145
Fax 2581490879

Um abraço

Anónimo disse...

Acho que a reportagem está optima, no entanto falta a referência ao artista que muito contribuiu para a existencia de todas essas belas peças de museu.

O senhor meu bisavô, Peão Lopes.

Consideravelmente, Tatiana Peão Lopes Ladeira.

Guida disse...

Bom dia!

Nasci em Lourenço Marques e o meu bisavô Adriano Moreira é um dos muitos indivíduos que contribuiu com exemplares embalsamados para este museu. Gostaria de o visitar um dia!

Guida disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
luciamacedoorkut disse...

Trabalhei em Moçambique e visitei várias vezes este museu. As fotos estão perfeitas, amei reviver este "pedacinho" do meu passado!

Unknown disse...

Os meus parabéns pela excelente qualidade das fotos; faltou mostrar imagens das outras salas do 1º andar! Sou natural de Moçambique e lembro-me de visitar este Museu (na altura, Àlvaro de Castro), em 1952, tinha eu 7 anos e depois, já como adolescente e adulto, visitei-o várias vezes quando vivia em LM; mas, além dos dinossáurios em betão, que mais foi feito de NOVO nestes últimos 38 anos? Um abraço pelo seu trabalho! José Campos

Fligencia Bento Djedje disse...

Oi eu Sou a Fligencia, e tambem ja visitei muito este Museu. Com o meu Pai e depois com a minha turma do ensino primario e por ai fora.
Gostava de um dia amostrar tambem a minha fikha como um dia meu Pai me levou a conhecer.
Gotei de ver as fotos e amei muito o vosso trabalho, continuem divulgando o que de melhor temos por este vasto Pais.

Anónimo disse...

O Senhor meu bisavô de seu nome Alberto Peão Lopes, Taxidermista. Foi o responsável por essa colecção da "gestação do elefante" jóia museológica de África, tendo feito tudo praticamente sozinho, foi um trabalho de uma vida...

Atentamente,

João Dias